O que é gestão de estoque para farmácias e drogarias? | Universidade da Farmácia

O que é gestão de estoque para farmácias e drogarias?

A gestão de estoque envolve produtos ou materiais que ficam fisicamente disponíveis pela empresa, até o momento de ingressarem no processo produtivo ou seguirem para comercialização direta ao consumidor final.

Ela é tão importante quanto a precificação. Isso porque, em média, 70% dos clientes deixam de comprar da drogaria – ou não compram todos os produtos que precisavam – por motivo de não ter em estoque e somente 25% por motivo de preço, segundo estudo do IFEPEC (Instituto Brasileiro de Pesquisa FEBRAFAR, 2021). Ou seja, a farmácia perde mais por não ter o produto do que por cobrar a mais por ele, por exemplo.

Por isso, gerencie seu estoque com um sistema que administre seus dados de maneira confiável e garanta que seus colaboradores saibam utilizar de forma correta. Afinal, são deles que devem sair todo seu planejamento de compra, sendo os dados de entrada da nota fiscal, saída de produtos e cadastros de fracionamentos, categorias e fornecedores, os principais exemplos que você deve considerar para uma confiabilidade dos dados na hora do planejamento de compras.

Isso fornecerá uma visão geral do estoque, composta pelo giro ideal, que consiste em receber antes de pagar o fornecedor. Para tanto, é necessário ficar atento ao lead time, que é o tempo desde solicitar a compra para o fornecedor até de fato estar o produto na prateleira pronto para a venda. O que também influencia na redução dos produtos parados com mais de 90 dias, pois teremos um controle mais assertivo e visual do que está entrando e saindo dentro da drogaria e assim trabalhar ações para reduzir ou mesmo interromper a compra desses produtos.

Então, a dica é: não “enrole” com os produtos que chegam, dê a entrada no sistema, cadastre o que tiver que ser cadastrado, dê baixa nas notas fiscais e mande-os para as prateleiras o mais rápido possível e, obviamente, venda!

Em média a loja precisa ter 3500 SKUs (código único de identificação atribuído ao produto), sendo aproximadamente 2000 de perfumaria, 800 de medicamentos promovidos, 500 de medicamentos genéricos e 200 de similar. Isso compõe a análise de mix de produtos ideal para uma drogaria.

Lembrando que o SKU não diz respeito a quantidade do produto em si, mas sim a variedade de produtos dentro da drogaria.

Ainda dentro do planejamento de compras é possível analisar a Curva ABC de compras, que visa o giro dos produtos da seguinte forma:

  • Curva A: maior giro;
  • Curva B: médio giro;
  • Curva C: baixo giro.

Não obstante, existe a questão da sazonalidade, a troca de produtos conforme o período para evitar o estoque parado, e as promoções e venda complementar, em que se pode gerar uma necessidade de demanda maior de estoque do produto. Tudo isso pode ser impulsionado por uma comunicação eficiente nos canais de venda da drogaria.

Além disso, quanto mais confiável estiverem seus dados no sistema, menos vezes será preciso fazer o inventário, que nada mais é que a contagem do estoque. Auxilia nisso a Curva ABC de estoque, para verificar o volume de estoque ideal, em que a:

  • Curva A equivale a 60%
  • Curva B equivale a 25%
  • Curva C equivale a 10%
  • Produtos parados sazonais (não são sempre os mesmos) equivalem a menos de 5%

Falando em posição física dos produtos também, o layout inteligente aumenta de 30 a 40% o faturamento de uma drogaria, já que os produtos ficam visualmente melhor para o cliente que entra na drogaria, tornando-o mais independente em relação ao vendedor. Essa organização visual torna a venda mais fácil, com ele encontrando produtos complementares por proximidade, como o xampu perto do condicionador, por exemplo.

De 62% a 70% dos shoppers deixam de comprar o produto que procuram por não encontrar dentro da drogaria, por isso a disposição inteligente é importante, visto que o cliente muitas vezes prefere o autosserviço. Ou seja, a layoutização impede a perda de cliente por ele não saber que você tem o produto, simplesmente por não ter visto o mesmo dentro da drogaria (lembrando que nem todo cliente pergunta para o vendedor).

Resumindo, a gestão de estoque é primordial na busca por vantagem competitiva. Seu objetivo principal é o equilíbrio, não tendo o excesso ou a falta de produtos, o que evita perda de dinheiro, desperdícios de mercadoria e melhora seu fluxo de caixa.


Guilherme Garcia – Analista de Marketing da Universidade da Farmácia (com colaboração de Guilherme Butesloff – Analista de Consultoria da RM Farma)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *