Atendente de farmácia: o que faz o balconista na drogaria | Universidade da Farmácia

Atendente de farmácia: o que faz o balconista na drogaria

“Multifunção”, assim Ana Luiza Carvalho (24 anos) definia sua rotina na farmácia. “Cuidava do atendimento, da organização e das compras de três drogarias ao mesmo tempo, mas o meu cargo era de balconista”.

Conforme contava seu dia a dia, tentava enumerar as mais diferentes tarefas nos dedos das mãos. “Me sentia sobrecarregada, pois sabia que nem tudo ali deveria ser da minha responsabilidade”.

Dentre os desafios para alcançar as metas, apontava a falta de apoio dos superiores, gerente e supervisor, o que exigia uma grande habilidade de administração do tempo, que era muito escasso.

Após quase três anos (muitos deles sem registro), optou por mudar de profissão, já que não quer que os outros passem pela mesma situação. Atualmente, ela é consultora comercial e apoia o desenvolvimento de diversas lojas farmacêuticas.

Se identificou com a história da Ana Luiza? Então, esse texto é para você, que espera conhecer mais sobre o perfil desse vendedor, papel que é tão estratégico nas drogarias.

Do balcão ao caixa: tudo sobre a função do atendente de farmácia

Balconista na drogaria

O balcão é a área que dá vida à farmácia. É lá que se vendem os produtos de destino do cliente, ou seja, os medicamentos. Também é onde os clientes fazem o check-in, apresentando-se ao balconista para resolverem seus problemas, quando não é possível fazê-lo através do autosserviço das gôndolas e prateleiras.

Como um bom vendedor, é sua função auxiliá-los para que eles paguem um preço justo, levem tudo aquilo que está em sua receita e tirem suas dúvidas a respeito dos horários e posologia dos medicamentos. Isso dá a credibilidade e a confiança necessárias para obter o retorno e a fidelização dos clientes.

Por isso, seu balcão deve estar muito bem apresentado:

  • Limpo e higienizado, seguindo os protocolos de segurança;
  • Com equipamentos eficientes, como computador, telefone e materiais de escritório (clipes, grampeador, canetas, bloco de anotações, caderno e carimbos);
  • Disponibilizando cestinhas para o transporte de produtos.

Atendimento no caixa

Já o caixa é o local de finalização das vendas do balcão: tem-se início o processo de checkout. Mas, antes disso, há a possibilidade de agregar vendas ao cliente, mostrando produtos que ele pode precisar e que estão nos expositores específicos, como os MIPs (Medicamentos Isentos de Prescrição), barbeadores, doces e outros insumos de conveniência.

Logo, converse com seu cliente. Que tal saber se ele está de viagem e sugerir um barbeador ou contar uma curiosidade, como a necessidade da troca de escova dentária a cada três meses para prevenir cáries?

E, antes de finalizar a venda, pode perguntar com um sorriso no rosto: “só isso mesmo, posso ajudar em mais alguma coisa?”. Isso vai confirmar a percepção do atendimento com excelência e qualidade, garantindo credibilidade, respeito e, mais uma vez, levando à fidelização.

Uma observação pertinente: fale com o seu gestor e peça para que o computador do caixa não seja o pior da loja, visto que isso causará filas e prejudicará a experiência de compra na loja, com os clientes indo embora e não voltando mais devido à demora gerada.

Além disso, no seu caixa não pode faltar bobina para imprimir os cupons fiscais, sacolas P, M e G e as máquinas de cartão.

Organização da farmácia

Não apenas as vendas e o atendimento são tarefas do balconista. A reposição de produtos, o zelo pela precificação correta nas prateleiras e gôndolas, além da limpeza em todas as suas estações de trabalho também estão nas atribuições da função.

O bom colaborador chega antecipadamente ao estabelecimento, assim podendo trocar de roupa, tomar café e bater o ponto com tranquilidade. Isso ainda permite receber orientação do responsável da farmácia, com o plano de ação do dia.

E atente-se, colaborador, sobre qual é a responsabilidade de cada seção:

  • Caixas: doces, barbeadores e produtos de compra por impulso;
  • Perfumaria: produtos de perfumaria, estética e fraldas;
  • Balcão: medicamentos em geral – éticos, genéricos, similares, farmácia popular, geladeira (termolábeis).

Detalhe: apenas os farmacêuticos cuidam dos medicamentos controlados.

Compras é função do balconista?

Nesse momento da leitura, faça uma pausa. Primeiro, consulte o responsograma com a descrição do cargo do balconista, que disponibilizamos gratuitamente.

Trata-se de uma ferramenta que traz uma descrição detalhada sobre cada função que os colaboradores possuem na farmácia. Dessa forma, ele considera quais são as principais atividades que são realizadas no dia a dia.

Ao contrário da Ana Luiza, que tinha atribuições como fazer cotações da semana e do tabloide, fazer faturamento e transferência e demais atividades de relacionamento direto com os representantes e fornecedores em negociações. Perceba que compras para atendentes devem ter apenas três itens:

  1. Solicitar faltas e encomendas com o responsável por compras;
  2. Realizar a cobrança da mercadoria e fazer o recebimento da mesma;
  3. Só guardar o medicamento que estiver com a entrada da NF (nota fiscal) concluída.

Ou seja, essa é uma função importante e que precisa contar com uma pessoa específica, para o bem e a prosperidade do negócio. Logo, cabem aos balconistas responsabilidades mais reduzidas das quais lhes são atribuídas normalmente.

Autodesenvolvimento do profissional de atendimento

Capacitação constante é a palavra-chave, com a disponibilidade do balconista para estudar os novos produtos, a concorrência e a precificação, colaborando com o desenvolvimento da drogaria enquanto empresa. Para isso, ter o Ensino Médio completo ajudará nas tarefas, inicialmente.

Contudo, cursos complementares são importantes, como o de aplicação de injetáveis e o de atendimento ao cliente. Some a isso uma postura crítica para avaliar os cenários e criar planos de ação, além de saber comunicar, relacionar, negociar e, sobretudo, vender.

Remuneração do atendente de farmácia

Quanto ao salário, ele varia conforme o tamanho da drogaria, sua localidade e a experiência do profissional, uma vez que a categoria não possui um piso salarial nacional definido. No entanto, a média apontada por especialistas é de R$ 1657,00.

Ademais, pode haver uma remuneração comissionada baseada no desempenho em vendas, a depender do tipo de produto:

  • Genérico: 5% para caso tenha atingido a meta e 3% para caso não tenha atingido;         
  • Similar: 5% para caso tenha atingido a meta e 3% para caso não tenha atingido;              
  • Perfumaria (com exceção de leite e fralda): 3% para caso tenha atingido a meta e 1% para caso não tenha atingido;             
  • Conveniência: 1% para caso tenha atingido e 0% para caso não tenha atingido.

Mas, lembrando mais uma vez, esse modelo de comissionamento depende de cada gestor de drogaria. Nem todas seguem esse padrão para as comissões dos vendedores.

Conclusão

A profissão de atendente de farmácia pede, como diferencial, a resiliência para continuar executando as atividades pelo período necessário, até que os resultados aconteçam. Foi essa habilidade que Ana Luiza demonstrou ao longo de sua carreira enquanto balconista, e que incentiva em seus assessorados, juntamente com:

  • Comprometimento: para atender o cliente de forma completa, buscando resolver todas as suas dúvidas;
  • Relacionamento: para garantir que o seu cliente saia satisfeito com a farmácia e com o atendimento de excelência prestado;
  • Autocontrole: alguns atendimentos exigem mais paciência e cuidado ao conversar com o cliente, portanto, o autocontrole para lidar com o público é essencial no seu atendimento;
  • Planejamento: para entender a sua rotina, a organização dos produtos e planejar suas atividades;
  • Proatividade: para oferecer ao cliente a melhor percepção sobre o seu atendimento e não o deixar sair da farmácia sem algum produto ou ainda com dúvidas;
  • Foco: para escutar o que o cliente está buscando e concentrar-se apenas nele durante todo o atendimento;
  • Integridade: para promover um atendimento ético, com atenção plena para conquistar a confiança do cliente.

Definitivamente é um trabalho que visa entrega e exige dedicação. Mas, se você é apaixonado pela profissão, a Universidade da Farmácia pode te ajudar com diversos cursos gratuitos.

Tenha bons estudos e um ótimo trabalho!


Autor: Guilherme Garcia – Analista de Marketing da Universidade da Farmácia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *